Disciplina positiva: o desafio de educar sem violência

Entenda por que pais e professores decidiram implementar os conceitos da Disciplina Positiva na educação de seus filhos e alunos

A Disciplina Positiva é uma abordagem para a Educação, baseada na relação de respeito entre pais e filhos, professores e alunos. Neste texto vou compartilhar com você os motivos que me levaram a abraçar esse caminho profundamente transformador.

“Meu filho tem 2 anos e 4 meses e não consigo sair com meu marido para ir a um restaurante porque ele não para quieto um minuto. Não digo que seja para fazer refeições demoradas, e nem seria o problema ele andar por aí se não fosse o fato de que mexe em tudo o que vê pela frente. Alguém que vive esse mesmo problema poderia me dizer como agir?”

“Minha filha tem 11 anos e não sai do celular. Quando chamo para fazer as tarefas da escola, ou para qualquer outra atividade, às vezes ela me ignora e nem responde. Depois de falar mil vezes, perco a paciência e acabo tirando o celular dela. Sempre brigamos por causa disso. Não quero viver assim, mas não sei o que fazer. Poderiam me ajudar?”

Relatos assim se multiplicam em sites e comunidades virtuais que tratam sobre educação de filhos. O desafio é grande, as dúvidas são muitas e não é dizer que antes os nossos pais sabiam melhor o que fazer. A questão é que antes a sociedade era mais simples e a visibilidade para os desesperos era, também, bem menor – às vezes nem saía das quatro paredes de casa. Hoje está tudo na internet.

Por que eu decidi adotar a Disciplina Positiva?

Enquanto selecionava o que abordar sobre a Disciplina Positiva para escrever este artigo, recebi um  trecho do livro “Quando me amei de verdade”, de Kim e Alison McMillen:

“Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é respeito”. (grifos meus)

Confesso que nunca tinha pensado na educação sob essa perspectiva – de ser uma ação ofensiva, não construtiva – quando falta esse respeito. E de uns tempos pra cá percebi como o modelo de educação que herdamos da nossa cultura é desrespeitoso e violento!

Conheço muitos pais e mães que, como eu, prometeram a si mesmos, quando seus filhos chegaram, que nunca gritariam com eles. Castigos, nem pensar! Bater então?! Nunca! Aí a vida vem, com toda sua beleza e demandas, nos mostrar que a cultura educacional que herdamos e queremos negar vem cheia de ferramentas que não queremos usar, mas que estão gravadas na nossa carne. Eu, mãe de 3 meninos, me vi repetindo padrões e sendo a mãe que não queria ser. Uma angústia enorme, junto com uma vontade ainda maior de mudar, me impulsionou a buscar outras tintas para escrever uma história diferente com meus filhos.

Meu dilema estava posto: não quero repetir, mas quando tirei de mim o que herdei, sobrou pouca coisa, quase nada…

Por aí cheguei à conclusão que a alternativa para construir as relações que realmente queremos com as nossas crianças e jovens está na substituição das crenças e respostas que fazem parte do repertório cultural vigente por outras que atendam meus ideais.

Nesse cenário de desejos e buscas, encontrei a Disciplina Positiva, uma abordagem de educação desenhada para ensinar habilidades sociais e de vida de uma forma profundamente respeitosa e encorajadora tanto para crianças como para adultos.

O caráter fundamental da Disciplina Positiva amplia a sua aplicação em salas de aula, por profissionais de saúde, em ambientes corporativos e onde mais haja a busca pela construção de relações baseadas no respeito e na paz. A par de outras áreas, como a Psicopedagogia e a Neurociência, a Disciplina Positiva vem agregar instrumentos de compreensão e convivência com os desafios da educação contemporânea.

Por hora, deixo um convite à reflexão: como anda a sua relação com as crianças e adolescentes com quem convive? Para ensiná-los a se comportar melhor, que ferramentas você tem usado? Na próxima oportunidade, vamos explicar um pouco da história da Disciplina Positiva e seus princípios.

Autora:

Fabiana Nogueira Neves
Educadora
Mãe, professora, Educadora de pais e professores em Disciplina Positiva, certificada pela Positive Discipline Association. É membro da mesma Associação e também da Disciplina Positiva Brasil, das quais recebe treinamento continuado. Idealizadora do Mater Sapiens, uma proposta de transformação do modelo de educação vigente através da divulgação e ensino da Disciplina Positiva para pais, professores e escolas promovendo palestras, workshops e atendimentos individuais.