Gestão de pessoas: uma necessidade nas empresas

Entenda por que a gestão de pessoas é tão importante nas organizações

Vivemos em um mundo onde a informação e a geração de conteúdo de maneira instantânea tem acelerado o ritmo das mudanças na vida como um todo. O comportamento das pessoas (as chamadas gerações do milênio) tem nos tirado da zona de conforto a todo o momento e, por isso, precisamos rever e refazer nosso modo de gerir empresas e desenvolver pessoas, pois sabemos que nenhuma empresa que irá mudar o futuro será inspirada nos casos de sucesso que existem hoje. É preciso pensar além.

Nesse sentido, a gestão de recursos humanos deve estar preparada para lidar e promover essas mudanças, independente se a área atendida é Administração, Educação, Saúde ou qualquer outra. Se há poucos anos esse “setor” se resumia em contratar, demitir e cuidar de encargos, hoje sua dimensão é muito maior e envolve a gestão de pessoas. Os profissionais que lidam com RH precisam entender as implicações da globalização, a diversidade da força de trabalho, a mudança de requisitos de habilidades e competências, o downsizing corporativo, as iniciativas de melhoria contínua, a reengenharia, a força de trabalho existente, os locais de trabalho descentralizados, o envolvimento dos funcionários e a implicação financeira que tudo isso traz para as organizações.

Gestão de Pessoas e o lucro da empresa

Ben Horowitz diz em seu livro “O Lado difícil das situações difíceis – como construir um negócio quando não existem respostas prontas” que “O difícil não é definir uma meta grande, complicada e audaciosa, é demitir as pessoas quando ela não é alcançada. O difícil não é montar o organograma da organização que você idealizou, é fazer as pessoas se comunicarem dentro dela”. Ou seja, ele reforça nossa premissa de que o desafio das empresas é saber gerir pessoas a favor da sua estratégia fazendo com que haja uma relação de ganho mútuo.

Gestão de pessoas

A gestão de pessoas extrapolou as paredes do RH e é tarefa primordial daqueles que pretendem ter resultados efetivos, menos retrabalho e maior produtividade. Atividades relacionadas à atração e retenção de talentos, programas de desenvolvimento, reconhecimento, motivação, comunicação e tantas outras devem estar inseridas no dia a dia de todos. O gerenciamento de recursos humanos tem que se aventurar em novas tendências para promover um efetivo desenvolvimento organizacional, atento às novas necessidades e desejos das pessoas seriamente afetadas pelo novo mundo da tecnologia e da ampla comunicação.

Uma grande empresa cresce quando seu foco é cuidar das pessoas e um bom gestor deve entender que as pessoas devem vir antes do lucro. Nesse sentido, disseminar a cultura do olhar direcionado a pessoas, investir em um competente profissional de recursos humanos que se posicionará como elo entre o que a empresa pretende e o capital humano é o caminho para a construção de um modelo de gestão humanizado, de qualidade e lucrativo.

Por que a gestão de pessoas é necessária?

Ainda de acordo com Ben, “o RH é como um setor de qualidade da própria organização. Ele não é capaz de entregar o produto em si, mas diz se você está entregando bons produtos e se o seu padrão de qualidade está melhorando ou piorando”.

Gestão de Pessoas

O investimento em uma boa e dedicada metodologia de recrutamento e seleção que entenda o perfil necessário para compor o seu time, o desenho de uma rotina de treinamentos técnicos, motivacionais, comportamentais, de programas de qualidade de vida,  de cargos e programas focados em carreira são itens que devem compor a cesta básica de qualquer empresa, independente do seu porte. Focar em pessoas não é artigo de luxo, ao contrário, é item de primeira necessidade.

A atenção à cultura também é um ponto que cabe aos profissionais da gestão de pessoas. Garantir que haja uma combinação apropriada de funcionários em termos de conhecimento, perfil, habilidades e adaptabilidade cultural é um grande desafio que precisa ser observado diariamente. Para atingir esse objetivo, as organizações devem investir na atração de talentos de mercado e também na formação de pessoas capazes de enfrentar os desafios do negócio, além de observar diariamente o comportamento geral de como as relações acontecem no dia a dia da organização. O conhecimento e consenso acerca da linguagem e da cultura (em termos de valores, morais, costumes e leis) são condições vitais para o desenvolvimento adequado de pessoas e organizações.

Recursos Humanos na atualidade

Se no passado a gestão de recursos humanos era simples porque a força de trabalhado parecia homogênea, hoje os desafios são outros. A diferença traz ganhos incontestáveis, porém o ambiente precisa suportar e proporcionar a evolução de criativos, comunicadores, aventureiros, entusiastas, nerds, fashionistas, geeks e tantos outros perfis.

Gestão de Pessoas

Palavras como propósito, engajamento, intraempreendedorismo, disrupção entram em cena e ganham valor. Programas de benefícios, incentivos culturais, empoderamento, desenvolvimento de novos líderes e líderes situacionais, foco em competências virtuais e mídias sociais são as discussões ricas e necessárias. Nunca houve tanta atenção à cultura e ao desenvolvimento do pensamento estratégico nas pessoas, independente da posição que ocupam.

O planejamento estratégico dos recursos humanos terá que pesar cuidadosamente as deficiências e a escassez de habilidades, deverá entender quais competências são necessárias para o desenvolvimento e verificar se elas existem nas pessoas que compõem a corporação. Cabe ao RH alinhar as pessoas ao foco da empresa desenvolvendo programas de curto prazo para resolver as lacunas de habilidades e promover crescimento real, capaz de ser medido e reconhecido.

Crescimento econômico e sustentabilidade

Além da aliança entre empresa e pessoas, é necessário pensar no mercado e no cenário econômico. Com isso, desenvolver pessoas baseado no conceito de performance, focar na melhoria de processos e adequação de rotinas, valorizando aqueles que efetivamente desejam contribuir para a empresa contratante faz parte do dia a dia do gestor de pessoas.

Gestão de Pessoas

Garantir a sustentabilidade de uma empresa envolve iniciativas destinadas a maximizar a produtividade e a qualidade sem aumento de custo. As operações dentro de uma organização devem funcionar como uma engrenagem desde o processo de contratação de pessoas de qualidade, até o desenvolvimento de papel administrativo para atender às necessidades dos clientes. Acreditar na melhoria contínua e na capacidade humana torna essa tarefa menos árdua e mais real. E estimular um ambiente colaborativo, com a comunicação aberta e assertiva em que o feedback ocupa realmente lugar de importância é garantir que estamos no processo de constante melhoria e adaptação a tantas mudanças.

Conclusão

Por fim, de tudo que foi dito, podemos perceber que a essência de qualquer organização são as pessoas que a compõem. O conhecimento reside em cada um que sai de casa cedo e escolheu a sua empresa para trabalhar, e se nós, enquanto gestores, formos capazes de despertar o melhor em cada um que está dividindo sua história com a nossa empresa, certamente estaremos mais próximos do que determinamos como sucesso.

Autora:

Raquel Oliveira
Psicóloga
Especialista em Gestão Estratégica com foco em Pessoas pela FDC | Especialista em Psicanálise e Saúde Mental | Graduada em Psicologia pela UFJF | Sócia fundadora da Rheserva Consultoria.
Compartilhe!

1 comentário sobre “Gestão de pessoas: uma necessidade nas empresas

Deixe um comentário

Tem interesse? Clique aqui Insira o seu endereço de e-mail abaixo que entraremos em contato assim que as matrículas forem abertas.
E-mail Não iremos compartilhar o seu endereço de e-mail com ninguém.