Enfermagem em Obstetrícia

Capacitar profissionais de enfermagem, através da pós-graduação de Enfermagem em Obstetrícia, para atuar na promoção, prevenção, cura e reabilitação da saúde da mulher em todas as fases da vida (adolescência, fase reprodutiva e climatério) com uma abordagem para além das dimensões biológicas que estejam em conformidade com o Sistema Único de Saúde (SUS), com os aspectos demográficos, epidemiológicos, de gênero e socioculturais da população feminina brasileira.
Início:
Carga horária: 420 horas
Dias, horários e frequência das aulas: Sábados e Domingos de 08h às 18h uma vez no mês
Material Didático: Enviado por e-mail pelo professor de cada módulo
Certificado: Emitido pela FacRedentor após conclusão e aprovação no curso
Público-alvo: Profissionais de nível superior em enfermagem que atuam na Saúde da Mulher, Atenção Primária à Saúde ou Atenção Secundária (Ambulatorial) ou Hospitalar. Assim como enfermeiros pós-graduados em Enfermagem obstétrica ou em Saúde da família e todos os demais profissionais de enfermagem que desejam ampliar seus conhecimentos.
Investimento: R$150,00 (matrícula)
Mensalidade:
1x de R$8.150,00 (20% de desconto)
12x de R$740,00 (15% de desconto)
19x de R$550,00
24x de R$480,00

Local: IESPE
Av. Rio Branco, 3.480, 3° andar - Alto dos Passos (prédio do Sírio Libanês)
Juiz de Fora, Minas Gerais - 36025-020
Telefone: (32)3216-1224 / (32)99929-8935

Ementa

Políticas públicas de Saúde da Mulher e Diagnóstico de Saúde da Mulher (30h)

  • Políticas e programas nacionais de saúde da mulher: histórico da assistência à saúde da mulher de 1930 a 1970; Programa Saúde Materno Infantil (1970); Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (1983); Política Nacional de Assistência Integral à Saúde da Mulher (2004); Rede Cegonha (2011). Plano nacional de políticas para as mulheres 2013 – 2015. Arcabouço legal relacionado à saúde da mulher desde a Constituição de 1988 até os dias atuais. Suporte legal para a atuação do enfermeiro na saúde da mulher: da lei do exercício profissional aos dias de hoje. Perfil da situação de vida e de saúde das mulheres brasileiras, tendo como referência as estatísticas sociais. Diagnóstico de Saúde da Mulher brasileira. Pesquisa Nascer no Brasil. Mortalidade Materna e Infantil.

Enfoque de Gênero, Raça, Classe e Violência Contra a mulher (20h)

  • Conceito de gênero; Análise da situação de vida das mulheres na perspectiva de gênero. Transversalidade de gênero e raça nas políticas pública de saúde da mulher. As desigualdades sociais, econômicas e culturais no processo de adoecer e morrer das mulheres. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra. Dados estatísticos da violência contra a mulher. Tipos de Violência: Violência de Gênero; Violência Intrafamiliar; Violência Doméstica; Violência Física; Violência sexual; Violência Psicológica; Violência Econômica ou Financeira, Violência Institucional. Legislação em defesa da mulher. Atenção às mulheres em situação de violência sexual e/ou doméstica/intrafamiliar.

Desenvolvimento Humano e Noções de anatomia e fisiologia (20h)

  • Divisão celular, Gametogênese, Fecundação, Implantação, Desenvolvimento do embrião e feto, Anexos fetais, Maturação fetal, Sistema reprodutor feminino (estruturas internas e externas), Pelve óssea, Mamas, Menarca e puberdade, Ciclo menstrual, Prostaglandinas, Climatério e Menopausa. Conceito de desenvolvimento humano, concepções sobre o desenvolvimento humano, aprendizagem, Fatores que influenciam o desenvolvimento humano, Teorias sobre o desenvolvimento humano.

Aspectos Psicológicos e Saúde Mental da Mulher (20h)

  • Conceito de saúde mental, Noções de teorias gerais da psicologia, Estudos da personalidade feminina, Políticas Públicas de Saúde mental, Bem estar x Estresse, O trabalho e o feminino, Medicalização da mulher, TPM, Depressão, Alcoolismo e Tabagismo feminino, implicações psicológicas para a mulher usuária de drogas, Redes de apoio.

Assistência à mulher na Adolescência (10h)

  • Política Assistência Integral à Saúde do Adolescente (1989), Estatuto da Criança e Adolescente –ECA (1990), Política de atenção integral à saúde dos adolescentes (2004), Diretrizes Nacionais para a Atenção Integral à Saúde dos Adolescentes e Jovens na Promoção, Proteção e Recuperação da Saúde (2010). Conceito de adolescência. Puberdade. Sexualidade. A saúde sexual e reprodutiva. Vacinação na adolescência. Saúde nutricional. Desenvolvimento psicológico. Situação de Violência. Vulnerabilidade na Adolescência: Adolescentes com doenças sexualmente transmissíveis ou Aids; Adolescentes com gravidez precoce não planejada; Adolescentes com transtornos alimentares: bulimia e anorexia;Uso/abuso de substâncias lícitas ou ilícitas (com destaque ao uso do tabaco e do álcool); Vítimas de exploração sexual ou que tenham sofrido abuso sexual; Quadros de depressão e/ou transtornos mentais e/ou risco de suicídio.

Enfermagem em Obstetrícia: Assistência à mulher na gravidez (30h)

  • Avaliação Pré-Concepcional. A importância da assistência ao pré-natal. Organização dos serviços, planejamento e programação. Acolhimento. Condições básicas para a assistência pré-natal. O papel do enfermeiro e da equipe de atenção básica no pré-natal. Diagnóstico clínico e laboratorial da gravidez. Alterações fisiológicas e psicossociais da gravidez normal. Classificação de risco gestacional. Cálculo da idade gestacional. Cálculo da data provável do parto. Calendário de consultas. Roteiro da primeira consulta. Roteiro das consultas subsequentes. Exame físico geral. Avaliação do estado nutricional e do ganho de peso gestacional. Exame físico específico (Obstétrico). Exames complementares e condutas. Prescrição de Medicamentos. Vacinação na gestação. Aspectos emocionais da gestação. Queixas mais comuns na gestação. Orientações e ações educativas. Aspectos legais e direitos na gestação.

Enfermagem em Obstetrícia: Assistência à nas intercorrências gestacionais (30h)

  • Hiperêmese gravídica. Síndromes hemorrágicas. Patologias do líquido amniótico. Trabalho de parto prematuro (TPP). Gestação prolongada. Crescimento Intrauterino Restrito (CIUR). Varizes e tromboembolismo. Anemias. Diabetes gestacional. Síndromes hipertensivas na gestação. Doença hemolítica perinatal. Doenças respiratórias. Infecção do trato urinário na gestação. Estreptococo do grupo B. Hepatite B. HIV. Sífilis. Demais doenças sexualmente transmissíveis na gravidez. Zika Vírus em gestantes. Toxoplasmose. Tuberculose na gravidez. Hanseníase na gravidez. Malária na gravidez. Parasitoses intestinais, Epilepsia. Uso de álcool e outras drogas na gestação. Violência contra a mulher durante a gestação. Assistência à mulher em situação de abortamento: políticas assistência e dilemas éticos.

Enfermagem em Obstetrícia: Assistência à mulher no trabalho de parto e parto (30h)

  • Breve Levantamento das mudanças da assistência ao parto ao longo da história. Parto Normal x Cesariana. Períodos Mecânicos do Parto. Fases Clínicas do Parto: Período prodróico ou pré-parto; dilatação ou primeiro período; Expulsão ou segundo período; secundamento ou terceiro período; quarto período; Assistência ao Parto: diagnóstico de trabalho de parto, assistência ao período de dilatação, toque vaginal, dilatação e progressão, ausculta fetal, bolsa das águas, controle da contratilidade, alimentação e hidratação, diagnóstico do período expulsivo, assistência ao período expulsivo, assistência ao período de dequitação, assistência ao quarto período (Greenberg). Episiotomia e episiorrafia: Definição; técnica cirúrgica e sutura. Cuidados de Enfermagem com a ferida perineal. Cardiotocografia. Amniotomia; Monitorização clínica dos Batimentos Cardíacos Fetais (BCF), monitorização eletrônica dos BCF, presença de mecônio no líquido amniótico; Práticas que devem ser estimuladas, repensadas e evitadas durante o trabalho de parto e parto de acordo com a OMS.

Enfermagem em Obstetrícia: Assistência à mulher pós- parto (10h)

  • Puerpério: definição; fisiologia: involução uterina, lóquios, colo uterino, vagina, vulva e períneo, assoalho pélvico. Modificações gerais. Assistência no puerpério imediato, no puerpério tardio e no puerpério remoto desde à maternidade, domicílio e UAPS. Depressão puerperal: conceito, diagnóstico, tratamento e assistência de enfermagem. Infecção puerperal, hemorragia puerperal, lesões do canal do parto, complicações vasculares e outras complicações (diabetes, abuso de drogas, mastite, distúrbio do trato urinário). Aleitamento materno, direitos sexuais e reprodutivos, imunização, prevenção e tratamento de anemia no puerpério. Assistindo o parceiro e a família no pós-parto.

Assistência à mulher no climatério (10h)

  • O aumento da expectativa de vida da mulher no Brasil. Conceito de Climatério e Menopausa. Dilemas Éticos do Climatério. Repercussões Clínicas: irregularidade menstrual; fogachos; alterações urogenitais; alterações do humor e sintomas emocionais; modificação da sexualidade; aumento do risco cardiovascular; osteoporose. Medidas preventivas às repercussões clínicas. Atividades educativas. Terapia de Reposição hormonal (TRH) e benefícios e riscos da terapêutica de reposição hormonal. Aspectos psicosexuais no Climatério. Equipe multiprofissional com visão ampliada e diferenciada da mulher climatérica.

Sexualidade e Direitos Sexuais e Reprodutivos (30h)

Enfermagem em Ginecologia I: Assistência de enfermagem nas queixas/problemas mais comuns na saúde da mulher (40h)

  • Problemas relacionados à menstruação: sangramento uterino anormal, atraso menstrual e amenorreias. Sintomas pré-menstruais. Infecções Sexualmente Transmissíveis: lesões anogenitais, corrimentos vaginais e cervicites. Abordagem sindrômica das IST. Problemas nas mamas: mastalgia e descarga papilar. Dor pélvica: aguda, crônica e cíclica. Miomas. Queixas Urinárias: perda urinária, dor e aumento da frequência urinária.

Enfermagem em Ginecologia II: Rastreamento de câncer feminino (30h)

Práticas Integrativas e Complementares -PIC (10h)

Práticas Educativas (10h)

Orientação Metodológica I, II, III (30h)

  • Conceitos preliminares (Ciência, Metodologia, Método, Método científico); A pesquisa científica; Estrutura e organização de trabalhos acadêmicos; Abordagens qualitativa e quantitativa; Construção e validação de instrumentos; A elaboração do artigo científico.

Prática Supervisionada (180h)

  • O Estágio curricular será desenvolvido através de visitas técnicas e/ou plantões sob a supervisão de um preceptor onde será necessário que cada aluno realize o mínimo de 180h subdivididas em : 60horas em atenção primária, 40h de atenção hospitalar, 60h de atendimento ginecológico ambulatorial, 20h de práticas integrativas e educativas.

Aprovado pelo MEC - Enfermagem em Saúde da Mulher

 

Com o objetivo de atender o público feminino de forma integral, científica e humanizada, o enfermeiro especializado na Enfermagem em Saúde da Mulher atua em todas as fases da vida da mulher com uma abordagem para além das dimensões biológicas e que estejam em conformidade com o diagnóstico demográfico e de saúde da população feminina brasileira e com o SUS (Sistema Único de Saúde).

 

A população feminina brasileira não só é maioria no país, mas também está sujeita a patologias específicas relacionadas à sua fisiologia e à persistência das desigualdades de gênero. Portanto, é de grande importância que o enfermeiro saiba agir diante de intercorrências na gravidez, parto e pós-parto, câncer do colo uterino e de mama, violência contra a mulher e violência obstétrica, evitando a morbidade e mortalidade da mulher por causas evitáveis.

 

Para isso, o curso possui módulos que apresentam desde a anatomia e fisiologia até as políticas públicas de Saúde da Mulher, sempre considerando as questões de gênero, raça e classe envolvidos nesse contexto, juntamente com os direitos sexuais e reprodutivos do público feminino. Também será ensinada a assistência correta no ciclo gravídico puerperal, na adolescência e no climatério, além do atendimento no caso de problemas de saúde mental, câncer feminino e em doenças crônicas e transmissíveis.

 

Com uma equipe de professores renomados que possuem ampla experiência no atendimento às mulheres, a pós-graduação é coordenada pelas enfermeiras especializadas Ana Beatriz Querino e Wilma Braga de Rezende. A partir dos conhecimentos adquiridos no curso, o aluno aprovado poderá atuar com uma equipe multidisciplinar, desenvolvendo um trabalho de assistência ou gestão em hospitais, Unidades de Atenção Primária a Saúde, dentre outros espaços.

?>

Dúvidas?

Envie um email para o coordenador