Personal trainer: quais são as demandas de mercado na área?

Entenda quais são as principais demandas atuais para o personal trainer e como se preparar para as novas tendências de mercado

 

O treinamento personalizado feito pelo personal trainer é o serviço mais indicado para aqueles que querem treinar com segurança, evitar lesões, otimizar resultados e obter uma progressão incremental periodizada das variáveis envolvidas na prescrição e controle das cargas de treinamento.

 

Muitos buscam o serviço de personal trainer para emagrecer e/ou ganhar massa muscular. E essas são as principais demandas mercadológicas e anseios por parte daqueles que buscam esse serviço de Fitness.

 

Se pensarmos do ponto de vista estético, é compreensível que a vaidade e a melhora da autoestima sejam desencadeadores dos desejos pela melhora da composição corporal. No entanto, do ponto de vista da Saúde, é extremamente preocupante que os índices de obesidade irão duplicar em menos de 15 anos, o que leva alguns pesquisadores a considerar que já perdemos a guerra para a obesidade.

 

Diante desse panorama, o profissional que se atenta aos dados epidemiológicos está a frente dos profissionais que não conhecem essa demanda exponencial de atuação. Assim, é de suma importância capacitar sua intervenção considerando todos os aspectos necessários para entender que o processo de emagrecimento depende da interação entre os aspectos biológico, psicológico e social.

 

Como o personal trainer pode se preparar para essa realidade?

 

Embora o ganho de massa muscular leve ao emagrecimento e melhore a saúde como um todo, o apelo estético tende a ser o principal fator na busca pelo treinamento personalizado. Por outro lado, do ponto de vista de fidelização e aderência ao serviço de personal trainer, as pessoas que procuram esse tipo de serviço pelo aspecto estético tendem a não ser assíduas.

 

Em contrapartida, um bom nicho de mercado fitness e de serviço personalizado é o de emagrecimento e redução do risco de doença cardiometabólica. Paralelamente, podemos citar que um fator de risco natural que predispõe o indivíduo ao desenvolvimento desse tipo de patologia é a idade. Diante disso, uma grande demanda de mercado que necessita de serviços de qualidade e individualizado é a população idosa e os demais Grupos Especiais.

 

Quanto maior a complexidade da situação, mais capacitado deverá ser o profissional de educação física que atenderá as diversas demandas. Portanto, é de grande importância que haja o aumento do repertório de possibilidades na prescrição de exercício físico. Somente dessa maneira o personal trainer poderá ter segurança para intervir positivamente e adequadamente para a obtenção de bons resultados no ganho de força e massa muscular, redução do percentual de gordura, aumento da capacidade funcional, qualidade de vida e saúde como um todo.

 

Diante disso, podemos afirmar que a atualização e busca pelo conhecimento atualmente não é uma questão de diferenciação no mercado fitness e, sim, sobrevivência.

 

 

Referências

 

ACSM. Quantity and Quality of Exercise for Developing and Maintaining Cardiorespiratory,
Musculoskeletal, and Neuromotor Fitness in Apparently Healthy Adults: Guidance for
Prescribing Exercise. Medicine Science and Sports Exercise, 2011.

 

Paes, Santiago T. et al. Metabolic effects of exercise on childhood obesity: a current view. Revista Paulista de Pediatria. 2015;33(1):122-129.

 

Paes, Santiago T. et al. Childhood obesity: a (re) programming disease? J Dev Orig Health Dis. 2015, 1-6.

 

Paes, Santiago T., Bianchini, Renato M. How to Start an Exercise Program for Obese Individuals and Minimize the Incidence of Orthopedic Problems? J J Obesity. 2015. 1(3): 021.

 

Paes, Santiago T., Bianchini, Renato M. Obesity: How can Interventions Ensure Treatment Success? Int J Endocrinol Metab Disord 2015, 1(4): 15:21.

 

Paes, Santiago T., Bianchini, Renato M. Childhood Obesity: Role of Non-Pharmacological Program of Body Weight Reduction Treatment. J Endocrinol Diabetes Obes 3(3): 1077.

 

Paes, Santiago T. Efeitos do consumo proteico sobre a hipertrofia ocasionada pelo treinamento resistido: Uma visão atual. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 10. n. 55. p.11-23. Jan./Fev. 2016.

 

 

 

[avatar id=183]

Compartilhe!
Tem interesse? Clique aqui Insira o seu endereço de e-mail abaixo que entraremos em contato assim que as matrículas forem abertas.
E-mail Não iremos compartilhar o seu endereço de e-mail com ninguém.

Matrícula

Planos de Pagamento

  • Certificado